Beto Muniz

Autogestão e Comunicação: Os segredos do bom profissional remoto

remote work3 min read

Finalmente, um post meu sobre trabalho remoto 🎉🙌🌎.

É até estranho dizer isso, mas é que sempre sou questionado por não escrever sobre trabalho remoto, considerando que trabalho assim desde 2014.

Mas a boa notícia é que daqui pra frente, esperem por mais conteúdos sobre trabalho remoto (remote work).

O começo

E pra começar direitinho no assunto, uma das principais dúvidas que recebo é:

Como você começou a trabalhar remoto, Beto?

E resumindo a reposta, minha transição aconteceu quando eu comecei a fazer freelas lá em 2013.

E veja só, não estou dizendo que esse é o melhor e único caminho, só posso responder que foi o caminho que me trouxe até aqui e que me revelou algumas habilidades que eu precisava desenvolver para ganhar confiança e me dedicar em tempo integral no modelo de trabalho remoto.

E que habilidades são essas?

Bom, com base no que aprendi, e claro, observando outros bons e maus profissionais no mesmo meio que eu, notei que para ser adaptar bem trabalhando remotamente, existem duas características fundamentais: Autogestão e Comunicação

Autogestão

Trabalhos remotos oferecem inúmeras situações interessantes, por exemplo, você não terá um gestor sempre por perto, haverá flexibilidade nos horários e locais de trabalho, a definição de tarefas são menos burocráticas e muitas vezes feitas por você mesmo, um parente seu ou pet pode interromper uma reunião, etc.

Sendo assim, autogerenciamento para planejar situações como as mencionadas definirá se você trabalha bem remotamente ou não, pois mesmo com mais liberdade para aumentar sua produtividade, essa liberdade precisa ser moderada por alguém, que no caso é você mesmo.

Comunicação

Ser comunicativo trabalhando remotamente é essencial.

E entenda que não estou falando de comunicação excessiva e/ou preguiçosa, aquela que você poderia ter resolvido sem interromper seu colega de trabalho.

Estou falando da comunicação necessária.

Nada de ficar horas tentando resolver um problema que se bem comunicado, poderia ser resolvido em minutos.

Ser fechado em um mundo particular não é uma opção. É preciso materializar-se, mesmo que verbalmente para que seus colegas de trabalho possam entender o que se passa com você, e se possível, ajudar você.

E veja o quão paradoxal é isso, pois muita gente acha que trabalho remoto é um modelo isolacionista, mas na realidade, pra funcionar mesmo, o trabalho remoto precisa ser totalmente o oposto desse comportamento.

E é só isso?

Bom, pra esse post sim 😁.

E só pra concluir, definir receitas de como ser um bom profissional é sempre questão de perspectiva e objetivos individuais. Particularmente, sempre que eu leio posts assim, apenas tento extrair o que se encaixa no meu contexto.

Minha ideia aqui não é ditar regras, mas sim compartilhar um pouco do que aprendi nos meus 5 anos trabalhando remotamente, e também, desmistificar mais o assunto, mostrando que há caminhos para se seguir e ter uma boa adaptação para quem quer trabalhar assim.

E você, o que pensa sobre trabalho remoto? O que pensa ser importante para um bom trabalhador remoto? Deixa um comentário.